55 41 3014-0381

contato@caddan.com.br

De tudo que tenho lido e observado na minha prática para aproveitar do mundo atual, sem dúvida, afirmo: orar, meditar e se conectar com você mesmo é um caminho viável e necessário. Tenho acompanhado executivos, estudantes, pessoas que têm mudado suas vidas adotando práticas que permitem perceber situações da vida e de si próprios com maior clareza.

Na vida cotidiana, dentro das empresas ou em nossas relações pessoais estamos sendo atingidos por uma avalanche de estímulos que nos conduzem à busca de emoções a qualquer preço. Yuval Noah Hararia, autor do livro “Homo Deus – Uma breve história do amanhã”, conta que a tecnologia é a grande responsável pela evolução da humanidade. Não tem como negar! Todavia, é também a responsável por essa corrida desenfreada que a humanidade enfrenta. E segundo ele, sem qualquer perspectiva de freio, melhor dizendo, ela não tem pedal de freio.

Algumas universidades afirmam, como a USP e Harvard, que tudo o que foi produzido nos três últimos anos em relação à saúde, educação, tecnologia e tantas outras ciências já é mais conhecimento do que tínhamos de informação em toda a história da humanidade.

Isso, sem dúvida, nos coloca em uma era de pura abundância de possibilidades, oportunidades e divisas. Podemos dizer que a maioria das pessoas tem acesso a tudo pela Internet, seja no computador ou através do celular. Posso ler, escrever um livro, me conectar com pessoas e me relacionar com elas profissionalmente, amorosamente, desenvolver projetos, me tornar um especialista no que eu quiser pelo simples fato de estar conectado a tudo.

Eu, particularmente, gosto do momento em que estamos vivendo. Todavia, o que fazer com tanta informação? O que de fato isso agrega a mim e a você nesse momento? O que esse excesso de estímulos tem de fato produzido em nós fisicamente, mentalmente e emocionalmente? Nesse sentido, a espiritualidade é um caminho viável para quem pretende transitar e aproveitar do cenário em questão.

Muitos já chegaram à conclusão, como Michel Lacroix, filósofo francês. Para ele precisamos de significado e não de mais ideias, precisamos saber usar tudo que a evolução nos proporcionou. Na última semana assisti a uma palestra de Joichi Ito, CEO da Mit Media Lab e ele afirma que já considera um problema a contínua produção de mais informações, quando de fato deveríamos começar a resolver os problemas ditos complexos da humanidade. Mas, como fazer isso?

Escutando, também, Ananda Giri - mestre indiano, instrutor Sênior da OWA e professor de espiritualidade e que ministra aulas em Harvard sobre meditação e maravilhosos estados de consciência. Ele alega que a finalidade dessa prática é desenvolvermos melhor o domínio sobre nós mesmos, estimulando e pensando mais com o cérebro frontal e não com o cérebro límbico. Pois, quem usava do cérebro límbico eram os primatas e eis o motivo deles terem um cérebro mais evoluído fisicamente na base do crânio. Estimular o cérebro na parte frontal é estar mais conectado não apenas nas tecnologias, mas aproveitar o melhor da vida, dos estímulos e da plenitude no aqui e agora!

Dalai Lama e Daniel Goleman já falaram disso no livro – “Como lidar com emoções destrutivas”, em que mostraram estudos do efeito da meditação como uma prática constante no cérebro de monges e de pessoas que meditam diariamente.

Orar, meditar é estar conectado consigo mesmo. É o que acalma a mente para lidar melhor com os insights, ter resiliência emocional para lidar com o que acontece de positivo ou negativo na vida. Enfim, ao orar e meditar é poder aproveitar melhor as oportunidades que surgem.

Foi através dessas práticas que Chade-Meng Tan criou um programa intitulado Search Inside Yourself para o Google, em que inspirou os participantes a melhorar a atenção, concentração, favorecendo o autoconhecimento, autocontrole e hábitos mentais positivos.

Trabalho com desenvolvimento de pessoas tanto na área clínica quanto corporativa. Acredito pelo que observo na minha prática, que antes mesmo da busca por coaching, terapias diversas e tantas outras abordagens que têm ajudado várias pessoas, que elas procurem se concentrar em quem realmente são. E é através da meditação e oração que isso proporcionará ao homem contemporâneo uma expansão do nível de consciência.

Foi com essa observação no trabalho, com pessoas nos mais diferentes cenários que desenvolvi uma metodologia própria chamada - Análise Integral - que visa considerar o âmbito espiritual, mental, emocional, energético e físico no assessment e desenvolvimento de pessoas. Não considerar essa totalidade é como não enxergar nada, mesmo com todas as condições físicas para tal em um período de maior abundância na história da humanidade.

E sabe o que descobri? Que você não gasta nada com essas práticas e de quebra exercita o poder de concentração, propósito e foco!

Bem-vindo à presença de você mesmo! Pois, essa é a finalidade da meditação e da oração para o ser humano.

Até a próxima!